Início    ACE    Biblioteca    Atas    Croquiteca    Links    Blogs    Fotos    Anúncios    Inscrição    Associados    Participantes
 Locais Detonados     Denuncie     Relate Acidente     Notícias     Fale Conosco     Área Restrita     Registrar Croqui 
"O homem é um sucesso evolutivo. Mas é um engano imaginar que tenhamos conquistado a Terra. Somos a espécie dominante simplesmente porque eliminamos boa parte da biosfera." John Gray

  Via Chaminé dos Vinte Mil
Pico do Dedo - Nova Venécia
Catalogada por ZéMárcio
Tamanho:  200m 
Nº de enfiadas: 
Material necessário:  Móvel (opcional) nas 2 primeiras enfiadas. Olhar sugestão abaixo.
costuras
2 cordas (facilitam o rapel)
fitas 
Data da conquista:  20/Jan/1965 
Conquistadores:  Claúdio Vieira de Castro
Etzel von Stockert
José Luiz Barbosa
Da escalada:  O 1º grampo fica a 15 metros do chão e o segundo fica a uma igual distância onde encontra-se uma plaquinha: Conquista do CERJ - Julho de 1960 colocada pela excursão de exploração guiada por Giuseppe Pellegrini.

Existem muitas pedras soltas nas duas faces da chaminé. É muito importante que o guia escale com extremo cuidado para não derrubar pedras no segundo, o que poderia causar um acidente grave devido ao tamanho das placas soltas na via.

Coordenadas do sítio que está bem próximo da base da Pedra do Dedo: S18.75473 W40.57393

Para chegar ao topo é preciso vencer muita vegetação de macambira (gravatá com espinhos).

Olhar relatos abaixo sobre duplicação das bases (grampos originais precários) e colocação de um grampo no cume (fora da linha da via).

História: “O Pico do Dedo foi descoberto pelo Pellegrini em uma excursão de Exploração de Montanhas, em 1960. Para demarcar a via de escalada, o Pellegrini subiu cerca de 35 metros em chaminé, onde fixou um grampo e prendeu ao mesmo uma plaqueta com a data da investida. Em janeiro de 1965, o Pellegrini, que era o Diretor Técnico do CERJ, delegou a mim, ao Etzel e ao José Luiz que fizéssemos a conquista da montanha. Fizemos uma primeira investida de reconhecimento, onde cheguei ao grampo que ele havia fixado e, em seguida, colocamos um grampo 15 metros abaixo deste para melhorar a segurança do lance, pois a pedra era lisa e a queda, proibitiva. Na segunda investida, eu e o Etzel nos revezamos na conquista dos lances seguintes, até chegarmos ao platô intermediário, a cerca de 100 metros da base. Esse trecho da chaminé era constituído de muitas placas e lascas de pedras soltas. Na terceira e última investida, completamos a conquista da chaminé, subindo cerca de 100 metros de chaminé estreita, com lances muito longos, pois era difícil encontrar um ponto que pudéssemos parar para fixar um grampo. O cume é dividido em duas partes pela chaminé, que corta a montanha de ponta a ponta. Chegamos no cume menor na noite do dia 19, onde pernoitamos, e, no dia seguinte, dia 20/01/1965, subimos ao topo da montanha, por coincidência, o dia do aniversário do CERJ. O nome da via, Chaminé dos Vinte Mil, se deu porque, na descida por dentro da chaminé estreita, o bolso do José Luiz rasgou e cédulas de 5.000 cruzeiros voaram por dentro da chaminé. Ele conseguiu recuperar uma boa parte do dinheiro, mas algumas notas ficaram presas em gravatás, fora da chaminé, longe do nosso alcance. Creio que ele tenha perdido 20.000 cruzeiros e, por isso, o nome da via.” Por Claudio Vieira de Castro
Fotos     Croqui     Veja quem escalou     Registre infos     Veja mais Infos


voltar pro início da página


voltar pro início da página


Eric (Eric Penedo)   Tel: 27/99464288 26/07/2016 17:14:01
   (Pretende escalar)


Gillan (Gillan Muniz Schirmer)   Tel: 27/98188007 26/10/2015
   (Pretende escalar)


Sandro (Sandro Rodrigo Aniceto de Souza)   Tel: 27/92270048 26/10/2015
   Finalizada
voltar pro início da página


Se for inscrito no site clique aqui para fazer Login


Registre mais informações sobre a via
*Nome: 
Email: 
Telefone:   
Data:
    *Relato:
 
voltar pro início da página


Infos de quem escalou a via
NASCI NA PEDRA DO DEDO E SEMPRE VI COM BONS OLHOS ESTE BANQUETE NATURAL NA REDONDEZA DO PICO DO DEDO. ATUALMENTE, EM VITORIA SINTO FALTA DESTE CENARIO MARAVILHOSO.
BREVE COMPRAREI UM SITIO EM VOLTA DO PICO DO DEDO E TRANSFORMAREI EM AREA DE LAZER COM BICHOS, AVES EXOTICAS, PISCINAS NATURAIS E OUTROS. AGUARDEM E CONFIEM.

ATENCIOSAMENTE,


BATISTA
Data de referência: 13/07/2007.
ANTONIO MARCOS BATISTA DO NASCIMENTO   Telelefone: 27/81355536 13/07/2007
Hoje conseguimos fazer a 2ª repetição desta via.
A conquista foi em 1960 e em 2001 André Ilha e Bernardo Colares fizeram a 1ª repetição.
Começamos às 7:30 e às 13:30h eu e Robinho (de Afonso Cláudio) chegamos ao cume. Para Alex (de Colatina) ficaram faltando os últimos 60m.
Devido à aparência bem ruim dos grampos algumas bases foram duplicadas. No cume (onde agora existe um livro deixado na 1ª repetição) também colocamos um grampo para a descida.
A via exige muito do psicológico do escalador devido à distância entre os grampos e ao nº de pedras soltas ou por soltar. No ataque final é necessário vencer as macambiras (gravatá com espinhos) para chegar ao cume.
Os conquistadores mostraram ser muito bons no que faziam. Estão de parabéns!
Data de referência: 19/02/2006.
ZéMárcio (José Márcio Moraes Dorigueto)   Telelefone: 27/981199450 19/02/2006
Coordenadas do sítio que está bem próximo da base da Pedra do Dedo:

S 18.75473
W 40.57393

Vai ajudar muito em uma noite sem lua...


Data de referência: 05/09/2004.
Wesley (Wesley Rodrigues Martins)   Telelefone: 19/88558841 05/09/2004
voltar pro início da página



©2003-2020  José Márcio M Dorigueto   -  Melhor visualizado em 1024x768