Início    ACE    Biblioteca    Atas    Croquiteca    Links    Blogs    Fotos    Anúncios    Inscrição    Associados    Participantes
 Locais Detonados     Denuncie     Relate Acidente     Notícias     Fale Conosco     Área Restrita     Registrar Croqui 
"Fantasias abandonadas pela razão produzem monstros impossíveis." Francisco Goya

  Via Tesouro Escondido
Pedra de Mulembá - Vitória
Catalogada por Zudi
Graduação:  4º Vsup A1 E2 D1 
Tamanho:  80m 
Nº de enfiadas: 
Material necessário:  1 Corda de 60 metros;
6 Costuras (2 longas);
2 Equalizações;
2 Cliffs (ou mais);
3 estribos (ou mais). 
Data da conquista:  09/Fev/2014 
Conquistadores:  José Augusto Brunoro Costa  (Brunoro)  Tel.27/9801.1945
Lucia Conrado  (Flor)  Tel.27/9932.3019
Silvia Louzada  (Silvia)  Tel.27/9905.0358
Zudivan Peterli  (Zudi)  Tel.27/9243.0159
Da escalada:  A PEDRA

A Pedra de Mulembá fica localizada dentro do Parque Municipal de Mulembá, situada no bairro de Joana DArc, cidade de Vitória/ES. O Parque é o lugar que as Paneleiras de Goiabeiras retiram o barro utilizado para a fabricação das famosas panelas de barro capixaba.

A face leste da Pedra de Mulembá é a mais conhecida do Capixaba, porque foi explorada pela antiga pedreira desativada chamada Rio Doce, somado ao fato de que a face leste pode ser avistada de diversos pontos de Vitória, por exemplo: Rodovia Serafim Derenze, Ponte da Passagem (lado direito – sentido centro) e do Campus Vitória da UFES.

O carro deve ficar no início da rua que da acesso as casas que ficam no pé da pedra. A caminhada até a base leva em torno de 5 minutos.

O Acesso para a mata é feito pelo quintal da casa do Sr.º Francisco e Sr.ª Maria, última casa da rua.


A CONQUISTA

A conquista se iniciou em 2013 e o cume foi atingido apenas na 4º empreitada que foi na data de 09/02/2014 às 20h10. As paradas são duplicadas e a via fica na sombra durante toda a manhã.


A ESCALADA

1ª ENFIADA - A via sai por um artificial em cliff (1/4) em uma parede lisa e vertical até a P1 - onde se inicia a calha/chaminé que foi o grande motivo da abertura da via pela face Oeste. Essa primeira enfiada é protegida por 4 chapas e é interessante levar 3 ou 4 estribos para fazer a repetição. Um par de Cliffs atendem bem a demanda do artificial. Essa primeira enfiada vale a pena ser usada até mesmo para treinamento de artificial em Cliff, principalmente pela sombra e um ou dois lances levemente negativo, mas bem protegidos.
2ª ENFIADA - Ocorre toda dentro da parte mais funda da calha, sendo necessário escalar no estilo chaminé. Ao final da enfiada a calha alarga, dando origem a um grande buraco, tornando inevitável realizar um lance mais difícil, que é o crux da via, para sair da calha e chegar num grande platô onde se encontra a P2.
3ª ENFIADA - A terceira enfiada sai por um lance de cristais e depois ganha, novamente, a calha por mais 30 metros, até chegar em um outro grande buraco, local que a pedra muda significativamente a inclinação e forma um costão bem positivo até a P3. Pronto! Agora é só andar pela esquerda, passando pelos cactos, e chegar ao cume para apreciar a paisagem e assinar o livro de cume.


O RAPEL

Foi duplicada uma proteção no meio da terceira enfiada (PX) para possibilitar o rapel com uma corda de 60 metros, sendo que o rapel deve ocorrer da P3 para a PX. Tenha cuidado com as pedras soltas nesse trecho do rapel. O próximo rapel será da PX até a P2 (30 metros) e um último rapel da P2 para a base (30 metros). Caso o rapel seja feito com 2 cordas de 60 metros o procedimento será um rapel da P3 para a PX (20 metros) e um rapel único da PX até a base (60 metros). Todas as paradas possuem malha rápida para o rapel.

O rapel direto da P3 para a P2 deve ser evitado por causa das pedras soltas no trecho final da via, pois no momento de puxar a corda do rapel alguma pedra pode rolar para dentro da calha e ser direcionada para a parada onde os escaladores estão.

Também é possível realizar o rapel direto do cume (última parada) até a base com 2 cordas de 60 metros, entretanto, a corda fica muito pesada para puxar por causa do arrasto, pedras soltas podem rolar do cume e a corda pode, ainda, agarrar em algum lugar.


FIGURA 1: Vista da Pedra no Parque de Mulembá/Estação de Tratamento de Esgoto da CESAN;

FIGURA 2: Trecho de aproximação e escalada;

FIGURA 3: Via de escalada no interior da calha e conquistador na 2ª enfiada;

FIGURA 4: P1 e trecho da 2ª enfiada da via;

FIGURA 5: Conquistador na P2 e visão da 2ª enfiada;

FIGURA 6: Local que o Livro de cume fica guardado;

FIGURA 7: Conquistadores no cume da Pedra de Mulembá;

FIGURA 8: Croqui da via.
Fotos     Croqui     Veja quem escalou     Registre infos    


voltar pro início da página


voltar pro início da página


Zudi (Zudivan Peterli)   Tel: 27/92430159 25/04/2016 19:11:05
   Finalizada


Gillan (Gillan Muniz Schirmer)   Tel: 27/98188007 26/10/2015
 
voltar pro início da página


Se for inscrito no site clique aqui para fazer Login


Registre mais informações sobre a via
*Nome: 
Email: 
Telefone:   
Data:
    *Relato:
 
voltar pro início da página



©2003-2020  José Márcio M Dorigueto   -  Melhor visualizado em 1024x768